Contra-esterço, mais uma dica de pilotagem para você.

  • Se você é daqueles que ao entrar em uma curva, seja no dia a dia ou mesmo em uma pilotagem mais agressiva, gira o guidão para o lado de dentro da mesma, então vamos dar mais uma dica para você melhorar sua pilotagem!

    Mas não se assuste, pois a maioria dos que andam de moto, mesmo há vários anos, ficam surpresos ao saber que a resposta correta é forçar o guidão no sentido contrário ao da curva, ou seja, para “fora”. Essa manobra é chamada “contra-esterço”.

    Para entender melhor a manobra coloque a moto em uma estrada reta em velocidade superior a 35km/h. Force ligeiramente o guidão para a direita e você perceberá que a moto segue para a esquerda. Ao forçar o guidão para a esquerda a moto ira tomar a direção da direita. Ou seja, tudo ao contrario do que você imaginava!

    Isto é o contra-esterço. É girar o guidão para o lado ‘errado’ para que a moto vá para o lado ‘certo’.

    A maioria faz esta manobra de modo inconsciente, pois esta é uma reação natural ao efeito giroscópico das rodas. O efeito giroscóspico surge em velocidades superiores a 35 km/h (até menos, em motos trail e bigtrail) e se torna mais intenso quanto maior for a velocidade, dependendo do tipo de moto e do tamanho de suas rodas, já que quanto maior for esse diâmetro também maior será o efeito giroscópico. É um fenômeno físico criado pelo movimento giratório das rodas da moto. Sua tendência é mantê-la em pé e rodando em linha reta enquanto existir movimento e velocidade. Em velocidade inferiores, a moto reage como uma bicicleta.

    A curvatura externa que existe nos pneus de motos, também ajuda quando o piloto realiza o contra-esterço, eliminando a tendência de a moto em se manter em linha reta, forçando-a a inclinar-se e “deitar” para o lado de “dentro” da curva.

    Ao forçar levemente o guidão para o lado contrário ao da curva, o piloto facilita o controle da moto, equilibrando as forças que atuam sobre ela. Parece contraditório, mas o “contra-esterço” serve para ajustar a moto à velocidade e ao raio da curva, podendo fazê-la “deitar” mais ou menos, conforme a necessidade.

    Quanto mais força de contra-esterço o piloto aplicar sobre o guidão, mais a moto deitará e fechará a curva. A manobra é importantíssima para quem pilota em alta velocidade, mas também é extremamente útil em situações normais.

    É na hora de fazer a curva que se conhece o bom piloto, já que nas retas exige-se pouca habilidade. E cada estilo e tamanho de moto apresenta um limite diferente quando o assunto é curva.

    Fazer um curva também envolve física, pois duas forças básicas atuam na moto. A da gravidade (peso da moto e a do piloto) que com a moto inclinada, a comprime contra o chão. E a força centrífuga que, devido a velocidade, “empurra” a moto para fora da curva. Essas duas forças agem sobre a suspensão e os pneus. É do equilíbrio entre estas forças e da aderência dos pneus à superfície que depende uma curva bem feita.

    Outra coisa: quanto maior e mais pesada a moto, mais ela sofrerá com a força centrífuga. O mesmo ocorre com a velocidade: quanto mais rápido mais se sente o efeito da força centrífuga. Tem mais: quanto mais fechada a curva, maior será a ação da força centrífuga.

    A arte de fazer a curva

    O segredo de uma curva bem feita é reduzir a velocidade antes de “entrar”, se for necessário frear, use os freios dianteiro e traseiro ao mesmo tempo, antes da curva, inclinar a moto e corpo de acordo com necessidade, manter aceleração constante e só aumentar a aceleração depois de terminada a curva.

    Ou seja, quem se inclina na curva é o conjunto moto-piloto com a exploração ao máximo do efeito contra-esterço. Se você é daqueles que fica jogando o corpo para os lados sobre a moto nas curvas, lembre-se que provavelmente estará comprometendo sua segurança durante a viagem. Tente praticar as técnicas que eu citei aqui e comentem suas experiências nos comentários.

    Em tempo, outras aplicações do contra-esterço são: ultrapassar de forma mais rápida e segura; corrigir a entrada na curva; desviar de objetos em plena curva; corrigir a trajetória na curva; mudar a trajetória em reta sem deslocar o corpo; retornar a moto para a posição menos inclinada após a curva o mais rápido possível e, claro, facilitar a entrada na curva sem fazer muita força.

    No carro, você precisa lutar contra ele para manobrar. Na moto, você precisa estar em sintonia com ela para manobrar. Esse é o segredo da deliciosa sensação de se pilotar uma moto.

    por Vindemiatrix.

    Assista também ao vídeo produzido por Dicas de Pilotagem.

    Equipe Bros & Bikers.


    31,mar,2012 | alex | 1 Comentário | Tags:

Sobre o Autor

Ricardo Alex

1 Comentário e Aumentando..

  • Laércio Vieira 03.31.2012

    Cara, compre uma fat boy e é minha primeira moto na vida então, pra evitar partir cedo, estou pesquisando bastante sobre pilotagem e o cotra esterço é realmente fantástico; não sei os limites ainda pois estou inseguro devido a falta de experiência mas da pra notar que a moto tomba mais ao se aplicar fazendo a curva e se voltar um pouquinho ela levanta. Se tiver dicas de moto custom em baixa velocidade posta ai que eu vou treinando. Abração e até mais.

Deixe seu comentário

* Nome, Email e comentário são obrigatórios