Final frontier – Buell BR – Ushuaia 2012 – 3 Parte

  • Dia 05 – Colônia del Sacramento/Uruguay – Bahia Blanca/Argentina: 650KM

    Após a correria de ontem para comprar os tickets do Buquebus e do temporal que caiu a noite, o tempo amanheceu nublado e como o check in para embarque começava as 09:45 AM conseguimos dormir um pouco mais, mas a correria foi a mesma destes dias.
    No porto para travessia do Uruguay para Argentina, encontramos com outros mototuristas de MG, SP e PR cada um com destinos distintos e com as motos devidamente presas para prosseguir a travessia fomos para a área de passageiros para revisar o roteiro da motokada do dia com destino a Bahia Blanca.
    Como não contávamos com horário das 10:45AM do buquebus o nosso dia ficou mais curto e partimos da premissa que até umas 13hrs já estaríamos livres para iniciar o trecho do dia e definimos que se as condições de tempo e motociclista fossem favoráveis, decidiríamos se prosseguiríamos a viagem ou
    repousaríamos em Coronel Pringles.
    Liberados por volta das 13hrs, iniciamos o trecho do dia com um pouco de chuva e nublado em terras Argentinas, onde vai a nossa primeira recomendação:
    . não esquecer de levar um calibrador de pneu porque como não havíamos calibrado e não estavam na pressão adequada quando checamos na saída do porto, realizamos no primeiro posto de abastecimento de “nafta” e constatamos lá que o medidor de pressão deles estava com diferença de 3 psi a menos em relação aos dois calibradores que nós havíamos levado um digital e outro mecânico.
    . abastecer os reservatórios de gasolina reserva
    Moto e motociclista abastecidos, iniciamos o dia com novas retas infinitas até chegarmos a Coronel Pringles onde passamos por um trecho de 265 km sem nenhum posto de gasolina chegamos no limite, mantendo uma velocidade para prevalecer a autonomia da moto.
    E como planejado e previsto à medida que nos aproximávamos de Bahia Blanca a temperatura  foi caindo, chegamos no final da tarde já no início da penumbra em Coronel Pringles para abastecimento da moto e lá decidimos prosseguir após uma breve pausa para recuperar o folego e as energias, esperar escurecer e colocar o forro nas jaquetas para suportar o frio.
    Este foi o primeiro trecho que pegamos de noite, chegando em Bahia Blanca as 22:00hrs ansiosos por um hotel, banho e um jantar.
    Informação:
    Para quem tem dúvida para fazer este tipo de viagem com Bolha alta, média ou baixa, aqui vai a dica para a bolha alta:
    . no meu caso a bolha alta que optei para a viagem na minha moto está sendo muito prático pelos seguintes motivos:
    .. protege do vento e do frio porque não incide diretamente no piloto;
    .. toda a sujeira e insetos são retidos nesta primeira barreira da bolha mantendo a roupa e principalmente a viseira mais limpas, porque nos postos nunca precisei limpar a viseira, somente a bolha o que melhora a visibilidade do piloto e a proteção contra o vento frio.
    Cartão de Crédito, Travel Money ou Dinheiro?
    . constatamos que a maioria dos postos só aceitam dinheiro, portanto essencial estar preparado neste momento com pesos Argentinos.
    Amanhã Bahia Blanca – Trelew com configuração da jaqueta, calça, luvas e balaclava para inverno.
    Aqui um muito obrigado para o Paulo Valiengo que enviou uma mensagem de boa viagem especial para os Quatro Cavalheiros de Ulysses rumo ao Ushuaia!
    Assim que eu conseguir subir o MP3 ou se voce puder passar um link para colocar aqui agradeço!
    By Ito
    Ahhh!!! Já ia esquecendo…. para os que estão pedindo para o Sueden escrever, segue aqui a observação dele:
    . NÃO ADIANTA RELATAR QUE VOCES NÃO IRÃO PASSAR PELO QUE NOS ESTAMOS PASSANDO, POR ISSO FAÇAM ESTA VIAGEM!
    P.S.: Para quem não conhece o Sueden, quando ele entrou no grupo só escrevia em caixa alta, por isso coloquei para os amigos que o conhecem para diferenciar a frase! 😉

    Dia 06 – Bahia Blanca – Trelew – 720km

    Como havíamos chegado muito tarde no dia anterior, combinamos de sair do hotel as 08:00, mas como vem se repetindo saímos 8:30, mas desta vez ainda tínhamos que abastecer, ou seja, pegamos a estrada as 9:00,um pouco atrasados mas como já estávamos acostumados a rodar 700km ou mais em um dia, estávamos tranqüilos. A temperatura já estava mais baixa nos dando sinais que de agora em diante o frio iria começar a apertar, o dia estava maravilhoso, com o céu bem azul e poucas nuvens brancas só para decorar!
    Pegamos a estrada, depois de rodar aproximadamente 200km, encontramos um novo companheiro de viagem, o vento lateral!!! Já haviam nos informado sobre ele, mas nossa sorte é que ele veio com calma, mas ja nos causou alguns transtornos. O consumo das nossas Ulysses caiu de 20km/l para 14km/l é claro que não foi só o vento que provocou essa queda, nós estávamos bastante empolgados e acabamos dando algumas “estilingadas” para sentir nossa motos voando pelas retas argentinas. Que por sinal são um caso a parte, hoje estava eu em uma reta que não tinha fim a mais ou menos 130km/h e por curiosidade consultei no GPS, quanto tempo faltava para a próxima curva (para quem não conhece os GPS de hoje não falta nem falar!!!! hehehe), quando eu vi 42min, não acreditei, não podia ser verdade, ou seja a reta tinha mais de 100km de extensão. Tudo bem passados os 40min, veio a tal curva, que na verdade esta mais uma reta torta!
    Mas voltando a nossa autonomia, como estávamos acostumados a autonomias incríveis, abusamos um pouco e não deu outra, pane seca a 11km do posto, mas como todos temos um tanque reserva foi só parar colocar 2 litros e terminar de chegar no posto. Bom, lição aprendida diminuímos o ritmo e fomos em bora. O que nos impressionou foi como todos são solidários aos loucos de moto que passam pela estrada, todos cumprimentam e fazem questão de puxar conversa nos abastecimentos, sem falar no efeito celebridade das nossas Ulysses.
    Chegamos a Trelew as 18:00 e fomos direto para Hotel Libertador, famoso BBB, fomos dar uma volta na cidade para comprar o remédio de dormir do Sussu e depois sentamos para jantar e conversar sobre o dia.
    By Dudu

    21,abr,2012 | alex | Sem Comentário | Tags:, ,

Sobre o Autor

Ricardo Alex

Deixe seu comentário

* Nome, Email e comentário são obrigatórios